Moto Dica Pilotagem, motocicletas e afins

30nov/110

Wallpaper: Asfalto

Posted by Rafael Sahb

Essa semana estamos disponibilizando um super wallpaper em resolução Full HD para você! Para você que curte pegar uma estrada; seja para viajar ou pelo simples prazer de pilotar. Seja em casa ou no trabalho, este wallpaper vai ser seu lembrete de onde recarregar as baterias.

Foto: Rafael Sahb - Todos os direitos reservados

 

25out/110

Piloto pára prova de rally para salvar bezerro

Posted by Rafael Sahb

Um vídeo está correndo a internet mostrando um piloto de rally parando para salvar um bezerro em um canal fluvial na África do Sul. Um show de respeito a vida, e uma demonstração da versatilidade da famosa BMW 800GS. O autor da façanha chama-se Johan Gray, um piloto sul-africano de 46 anos, estava participando de uma prova classificatória para o Amageza 2012.

Passando em alta velocidade ao lado do canal, viu o bezerro se debatendo. No vídeo percebe-se claramente que ele não hesita em diminuir e dar meia volta. Utilizando a moto como ponto de ancoragem, ele desce no canal com a ajuda de uma correia e após algumas tentativas, retira o filhote da água. Interessante notar o ponto em que ele prendeu a correia na moto, dando suporte para segurar seu peso ao descer a alta e íngreme parede do canal.

Ele ainda gastou mais tempo da sua prova, indo atrás do rebanho ao qual pertencia o bezerro, delvolvendo-o são e salvo.

7out/110

Blog descreve conversão de uma Ténéré ’90 em injeção eletrônica

Posted by Rafael Sahb

A Ténéré 1990 é uma moto com excelente fama entre os que gostam de enfrentar adversidades. O nome Ténéré possui uma fama de projeto consagrado, vencedor de competições famosas, como o Rally Paris-Dakar. Os proprietários dessas lendas dificilmente falam mal de suas montarias, porém, como é uma moto com mais de 20 anos (no caso das '90), sua manutenção pode ser complicada, pela escassez ou preço exorbitante de peças.

Rui Pinho e sua Tènèrè na época em que ela ainda era carburada

Rui Pinho, membro do PDF-MC (inclusive sendo um dos que foi a Machu Picchu) , é um proprietário de um exemplar dessa moto lendária. Mais um caso de motociclista que usou sua moto bem e fez muitas viagens com sua Ténéré. Ele ainda possui a moto, mas o verbo 'usar' foi colocado no passado porque ela está atualmente parada. Há algum tempo, a moto apresentou problemas e durante a manutenção, o corpo do carburador se quebrou. Segundo Rui, um novo custa o preço de uma Biz.

Mas mais que um moto aventureiro, Rui, formado em Ciência da Computação, é um geek. Entre os integrantes do PDF-MC, Rui é conhecido pelas suas habilidades em mecânica. Somados esses dois fatores, eis que ele opta por resolver o problema com o projeto da Ténéré-i. Sim, ele está instalando uma injeção eletrônica personalizada em sua moto. Segundo ele, é o caminho mais demorado e mais caro, mas também o mais divertido.

Seu blog, o Hack n Road, está sendo usado atualmente para relatar essa transformação. Lá, pode-se ver tudo com muitos detalhes, com fotos, descrições detalhadas e ainda alguma pitada de bom humor. O projeto ainda está em andamento, e mesmo que não se possua uma moto desse modelo, é uma leitura interessante para quem gosta de mecânica de motos.

Para acessar o Hack n Road, clique aqui.

28set/110

Moto aventura

Posted by Rafael Sahb

PDF-MC

Nossos amigos no PDF-MC (mesmo motoclube que alguns integrantes fizeram a viagem a Machu Picchu de moto), criaram mais uma seção no site deles: Moto Aventura.

O termo, segundo eles, serve para designar os motociclistas que preferem viajar por estradas desconhecidas, indo para objetivos distantes, tendo contato com outras regiões às quais não está habituado.

O intuito desta nova seção é discutir sobre essas viagens longas por lugares desconhecidos, sob todos os ângulos: motos, equipamentos, estratégias, planejamento, etc. A área do blog contém já 3 posts, e falam sobre as motos, cobrindo estilos, características desejáveis, fatores a se considerar para situações distintas, entre outros. São textos bem completos, com uma escrita característica dos posts sobre a viagem deles a Machu Picchu, ou seja, bem agradáveis e leves de se ler.

Enfim, é uma dica e tanto para quem quer fazer uma viagem grande sobre duas rodas mas não sabe bem por onde começar. As dicas são dadas por quem já foi lá e voltou, e já foi em muitos lugares.

Para acessar os posts sobre esse assunto, clique aqui.

Para acessar o blog do PDF-MC, clique aqui.

16set/110

Entrevista com Eyal Melnick – O criador da moto conversível Shavit

Posted by Rafael Sahb

Eyal Melnick nos concedeu uma pequena entrevista por e-mail, quando entramos em contato para pedir detalhes e imagens do projeto da moto conceito Shavit. Bem disposto e muito apaixonado pelo mundo em 2 rodas, Eyal é mais um caso que mostra que a paixão pelas motocicletas é universal. As perguntas e respostas foram em inglês, mas estão traduzidas a seguir.

Eyal Melnick e o modelo ergonômico da Shavit

Moto Dica - Qual sua relação com motocicletas?
Eyal Melnick - Eu tenho andado de moto desde os meus 16 anos, ou seja, tem quase 12 anos. Sempre tive uma motocicleta e sempre gostei delas. Mesmo antes de tirar minha habilitação na adolescência, meu quarto era coberto de pôsteres de motos.

MD - Você usa a moto para seus deslocamentos diários?
EM - Sim. Eu tenho uma GSX-R1000 K4 2004 modificada e eu a uso para a maioria dos meus deslocamentos diários, e quando eu tenho algum tempo extra nos finais de semana eu saio para procurar estradas cheias de curvas. Em Israel não temos pistas oficiais para corridas, não para super esportivas, então os motociclistas costumam ir em estradas tortuosas de manhã bem cedo para se divertir.

MD - Qual é seu estilo (ou estilos) favorito de moto?
EM - Eu adoro o visual das Café Racers antigas, mas para ser honesto, do ponto de vista de pilotagem, eu amo as super esportivas.

MD - Quantas empresas manifestaram interesse no seu projeto?
EM - O conceito foi apresentado há 2 meses como meu projeto de conclusão de curso, por agora apenas revistas e blogs de design ou sobre automobilismo me contataram.

MD - Em termos técnicos, o conceito da moto está perto de se tornar realidade?
EM - O conceito está muito próximo da realidade. Tudo foi projetado num software de CAD e a montagem de todas as peças foi testada e funciona. Talvez necessite de ajustes do ponto de vista da engenharia, mas com certeza o conceito é viável. O projeto foi reduzido e recriado num modelo escala 1:4 e foi feito um modelo ergonômico em tamanho natural.

MD - A suspensão dianteira parece ter um design bem peculiar, o que você pode falar sobre suas características?
EM - A suspensão da frente é baseada na suspensão Hossack, e suspensões similares podem ser vistas em motos como as super esportivas Britten. Eu projetei assim para evitar os garfos normais, por causa da mudança de geometria que ocorre no guidão na transição de posição.

Shavit

MD - Quanto tempo foi empregado no projeto?
EM - Ele foi meu projeto de graduação na Faculdade Shenkar de Design e Engenharia de Tel-Aviv, em Israel. Durou um ano inteiro, terminando em uma apresentação e exibição do projeto e do processo.

MD - Por que Shavit?
EM - Shavit é em homenagem a Tal Shavit, meio que um herói da minha infância. É o pai espiritual de todos os motociclistas de Israel, e fundador da primeira revista sobre motos do país. Ele morreu em um acidente de moto alguns meses antes de eu apresentar o projeto, e quis homenageá-lo, como uma forma de agradecimento por ter feito eu ingressar no mundo das motos ainda criança, fazendo-me sonhar, andar e imaginar motocicletas.

MD - Aqui no Brasil, temos altos índices de acidentes de motos. Quais são seus pensamentos sobre melhorar a segurança dos motociclistas no trânsito?
EM - Aqui em Israel é o mesmo problema. Nós sempre temos que pensar que estamos sempre 'errados' em todos os acidentes. Tudo nossa culpa. Claro, sabemos que não é verdade, mas temos que nos pensar assim. Pelo menos nas vias públicas. Andem com cuidado, estejam atentos. Estejam sempre preparados. Se reconheça na posição mais fraca na selva do trânsito. Relaxe apenas nas pistas, estradas vazias ou isoladas. Tudo está na nossa cabeça. Além disso, todo motociclista deve saber como lidar com sua moto o máximo possível. Essa conexão com a moto deve ser resultado de aprendizado correto e preparação. E a melhor dica é: fique focado e apaixonado pela sua moto.

15set/110

Moto conceito conversível: 2 posições de pilotagem numa mesma máquina – Shavit

Posted by Rafael Sahb

Esq.: Posição de pilotagem mais confortável e ereta. Dir.: Posição mais esportiva

Existem vários tipos de motos atualmente; esportivas, streets, de trilha e customs são alguns exemplos. Além das diferenças visuais marcantes de cada estilo, há também diferentes posições para pilotá-las. Algumas com posições mais confortáveis, outras nem tanto.

No extremo das que dão dores nas costas, estão as esportivas, que deixam o condutor curvado e com as pernas bem flexionadas. Usar uma moto dessas para os deslocamentos diários pode ser bem desconfortável sem o preparo físico necessário. Porém, mesmo assim essa classe de moto atrai muitos usuários atrás de desempenho e esportividade.

Alguns já se perguntaram se seria possível encontrar uma solução para se ter uma super esportiva e ao mesmo tempo poder dispor de uma posição de pilotagem mais confortável. Geralmente a resposta é ter 2 motos. Um designer industrial israelense resolveu pensar mais e criou a Shavit, que resolve o problema com uma única moto conversível.

A moto-conceito Shavit é uma super esportiva elétrica que terá 180 cavalos e um peso de 170kg. "Terá" porque como foi mencionado, é uma moto conceito e por isso ainda não foi produzida. Com ela é possível mudar a posição de pedaleiras, guidão e inclinação do banco com a moto em movimento, conforme se pode ver no vídeo. Com isso pode-se ficar na posição de pilotagem agressiva mas cansativa das esportivas para um track-day em um autódromo e voltar pra casa numa posição confortável.

Rascunhos do projeto

O visual futurista é bastante agressivo e esportivo, e seus detalhes chamam a atenção. O farol dianteiro foi posicionado nas 2 laterais da carenagem, e a suspensão dianteira (baseada na suspensão Hossack) tem um visual bastante diferente do comum. Uma moto que impressiona pela proposta inovadora e pelos diversos elementos.

O responsável pela obra-prima é Eyal Melnick. Ele desenvolveu a Shavit como seu projeto de conclusão de curso na faculdade de design e engenharia de Shenkar em Tel-Aviv, Israel. Eyal é um apaixonado por motos desde muito cedo e alegrou a equipe do Moto Dica em conceder uma pequena entrevista, nos falando sobre a origem do nome da moto, sua paixão por motocicletas e alguns fatos interessantes sobre o projeto.

Clique aqui para ver o portifólio online de Eyal mostrando este e outros projetos.

A seguir, algumas imagens mostrando a Shavit em vários ângulos. Imagens gentilmente cedidas pelo próprio Eyal Melnick. Clique para vê-las em tamanho grande.

Shavit

Detalhe do painel

Detalhe mostrando faróis laterais e a suspensão dianteira

Imagem mostrando como seria a Shavit se comportando na pista

Visão lateral da moto

 

12jul/110

Wallpapers – Kasinski Comet GTR EFI

Posted by Rafael Sahb

Essa semana estamos liberando 2 wallpapers para fãs da Comet GTR. É só clicar em um dos 2 abaixo, salvar e usar! Em breve liberaremos mais!

1920x1080

1440x900

Créditos:

Fotografia: Rafael Sahb

Edição: Rafael Sahb / Marcelo Delgado

Piloto: Marcelo Delgado

26fev/110

Suspensões Mono-Amortecidas (monoshock com link ou braço-relé)

Posted by Rafael Sahb

Em A: local onde fica a suspensão em sistemas mono-amortecidos

A suspensão traseira é um item que influencia bastante na manobrabilidade da moto. Nesse aspecto, as do tipo Mono-shock (ou mono-amortecida), se destacam, pois possuem vantagens sobre o modelo de braço oscilante com duplo amortecimento. Porém, apesar das diferenças visuais serem bem perceptíveis, o grande público não sabe o nome destes 2 tipos de suspensão (os mais comuns no mercado brasileiro) nem tem conhecimento das reais vantagens das mono-shock.

Motos Street de 125/150cc, como as Honda CG ou Yamaha YBR  não costumam vir com esse tipo de suspensão (elas vem com o modelo de braço oscilante com duplo amortecimento), deixando as mono-shock para os modelos mais caros (e mais potentes) ou para os modelos trail ou cross, como a Honda Bros 150 e Yamaha XTZ 125, que por serem desta categoria, necessitam deste sistema mais robusto.

Modelo de suspensão de braço osclilante de duplo amortecimento

Modelo de suspensão de braço osclilante de duplo amortecimento

As suspensões mono-shock eliminam o torque entre o garfo traseiro (ou balança) e a suspensão, possibilitando uma manobrabilidade e frenagem mais consistentes. O fato de elas possuírem apenas uma mola, permite uma regulagem de pré-carga mais fácil, pois não é necessário se preocupar em realizar regulagens idênticas em 2 molas distintas.

O modelo mais difundido no Brasil de suspensões mono-shock são as que usam uma peça chamada de link ( ou braço-relé; algumas pessoas se referem a essa peça por jumelo), que une garfo traseiro à suspensão. O emprego desse link possibilita uma rigidez da suspensão mais progressiva, sendo macia no começo e mais dura a medida que vai se chegando ao final do seu curso. Com isso, as irregularidades da estrada são bastante atenuadas, tornando a pilotagem ainda mais confortável e segura. A explicação técnica de porque o link melhora o amortecimento na suspensão mono-amortecida foge do escopo deste post, pois envolve conhecimentos avançados de mecânica.

Em A: parafuso que prende o link ao garfo. Em B: parafuso que prende o link à suspensão

Em A: parafuso que prende o link ao garfo. Em B: parafuso que prende o link à suspensão

A título de comparação, há um modelo de suspensão sem o link que é chamada pelos fabricantes de Active Monocross e compõe os modelos nacionais como a Honda CB300R, Honda Bros e Yamaha XTZ 125.

Uma informação interessante é que a Honda se refere às suspensões mono-amortecidas com link pelo nome de Pro-Link. A Yamaha (a primeira marca a empregar esse tipo de suspensão com uma mola apenas), as chama de Monocross atualmente. Na Kawasaki (a fabricante que introduziu o uso do link), o modelo se chama Uni-Track. Em um post futuro, iremos contar a história das suspensões mono-amortecidas.

Não era nossa intenção esgotar o assunto, muito menos explicar os fundamentos físicos que envolvem a dinâmica das suspensões mono-amortecidas. Esperamos, com esse post, dar uma visão geral sobre este tipo de suspensão, e possibilitar ao leitor mais embasamento na hora de pesar esse fator na compra da sua motocicleta. Em posts futuros, entraremos mais em detalhes das partes técnicas das suspensões.

25fev/112

Kasinski Comet GTR EFI 2011 encarando o Trânsito de BH

Posted by Marcelo Delgado

Pra você que esta querendo comprar a moto e quer saber o que ela pode fazer no trânsito pesado esse video pode dar uma mão.

Ela esta longe de ser a moto ideal para se encarar o trânsito das grandes cidades brasileiras. Nem a posição de pilotagem, nem o peso extra ajudam. Mas a moto também não é uma custom e se mostrou bem valente ao encarar o trânsito na Av. Amazonas em Belo Horizonte no horário de pico.

   

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.