Moto Dica Pilotagem, motocicletas e afins

12set/110

Recall da Honda CB300R 2010 com ABS

Posted by Rafael Sahb

Como dissemos no post sobre o recall das Yamaha Fazer 250, por mais que um fabricante se esforce para divulgar suas campanhas de recall, nem sempre todos os usuários ficam sabendo. Por isso estamos divulgando este recall da Honda CB300R.

O recall foi divulgado em novembro de 2010, e é referente apenas aos modelos 2010 com ABS. No serviço, haverá a fixação da fiação do sistema ABS e do tubo do freio traseiro, podendo haver substituição, caso necessário. Há risco de rompimento de uma dessas estruturas diminuindo a eficiência da frenagem podendo levar a acidentes.

A faixa de chassis participantes dessa atualização pode ser encontrada no anúncio oficial no site da Honda. Caso tenha comprado uma moto desse modelo e ano usada, o melhor jeito de se certificar que o serviço realmente foi executado é entrando em contato com a concessionária Honda mais próxima.

Vale sempre ressaltar que todo serviço de recall é gratuito.

9set/110

Pergunte ao @motodica #1 – em resposta ao @theridao

Posted by Marcelo Delgado

 

Em resposta ao tweet do nosso amigo theridao estamos criando a seção "Pergunte ao Moto Dica". Abaixo, pode-se ver a primeira pergunta, que foi respondida pelo Twitter mesmo. Como o segundo comentário dele necessitava uma resposta mais completa, respondemos através deste post.

 

Primeira pergunta:

@theridao: @motodica qual a diferença entre cavalos da nova Fazer e da Cb 300?

Nossa resposta via Twitter:

@motodica: @theridao Respondendo sua pergunta: segundo dados oficiais dos fabricantes, a Fazer 250 chega a 21cv e a CB300R a 26,53cv.

Comentário do amigo @theridao:

@theridao: @motodica Vlw.. estou pensando em comprar uma.. estou em duvida.. a fazer está mais bonita esteticamente do que a cb 300

Nossa resposta ao seu comentário:

Sabemos que beleza e potência realmente chamam muita atenção mas esses não devem ser os fatores determinantes ao se escolher sua moto.  Pensar em que condições de piso você irá pilotar, se irá andar predominantemente na cidade ou estrada, qual o seu nível técnico, condicionamento físico e se pretende usar a moto como lazer ou meio de transporte diário são fatores que frequentemente não são levados em conta.

Entender as diferenças entre os estilos de motos também lhe trará conforto e segurança superiores.

Em breve o Moto Dica estará preparando séries de posts sobre os estilos de motos e como levar em contas todos os fatores que são realmente importantes pra aliar conforto, segurança e satisfação ao se escolher uma moto.

 

8set/110

Motociclistas poderão ser obrigados a usar mais equipamentos de proteção

Posted by Rafael Sahb

foto: Rui Pinho

O Projeto de Lei 1171/11, do deputado Fernando Ferro (PT de Pernambuco) quer tornar obrigatório o uso de joelheiras, cotoveleiras, botas e coletes de proteção por motociclistas. Segundo o projeto, estes equipamentos passam a ser considerados como acessórios da moto, e deverão ser custeados pelos fabricantes, em caso de motos novas.

No texto do inteiro teor do projeto, é usada uma argumentação parecida com a do Projeto de Lei que defende imposto zero para capacetes, com dados estatísticos mostrando o tamanho do problema de saúde pública que os acidentes com motos representam. É citado, por exemplo, dados de uma pesquisa conduzida pelo Instituto Sangari, que mostra que o número de óbitos decorrentes de acidentes de moto aumentou 754% de 1998 a 2008.

O projeto tramita em caráter conclusivo, o que significa que ele não será votado, como normalmente acontece. Ele será aprovado se passar por 3 comissões e tiver parecer igual em todas. As comissões são: Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio; de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Para visualizar o inteiro teor do projeto, clique aqui.

Participe da nossa enquete no Facebook sobre esse tema! Clique aqui

8set/110

Pirelli lança aplicativo gratuito pra coletar dados da sua pilotagem usando iPhone

Posted by Rafael Sahb

Com o aplicativo, é possível medir inclinação e velocidade nas curvas

Agora é possível coletar dados de velocidade, tempos e inclinação em curvas usando um iPhone. Recentemente a Pirelli lançou um aplicativo gratuito para o telefone da Apple, o Diablo Super Biker App.

Segundo a própria Pirelli na notícia de lançamento, é como ter um transponder e um rastreador GPS para pistas de corrida instalados no telefone. É possível coletar dados de tempos de voltas, gerar relatórios com velocidade desenvolvida em cada curva, com o respectivo ângulo de inclinação alcançado pela moto. Tudo sem precisar instalar nenhum equipamento de telemetria na sua moto. Há integração com o Google Maps, para mostrar os dados coletados.

O Diablo Super Biker App conta ainda com 2 modos distintos, um para pistas fechadas (autódromos) e outro para estradas. É possível comparar dados coletados em outras ocasiões e compartilhar com os amigos inclusive no Facebook.

O aplicativo pode ser baixado na Apple App Store e no iTunes, e funciona no iPhone 4 com iOS acima da versão 4.2. Até o momento, ele está disponível em 5 línguas, mas ainda não há uma versão em português.

Update (12-Set-2011):

Suporte a língua portuguesa na versão 1.2

Link para o app no iTunes: http://itunes.apple.com/gb/app/diablo-super-biker/id451756374?mt=8

5set/110

Deputado quer lei para que capacetes tenham imposto zero

Posted by Rafael Sahb

A intenção do projeto é possibilitar o acesso de itens de segurança para mais motociclistas

O Deputado Federal Jesus Rodrigues (PT do Piauí) apresentou no último dia 1º um projeto de lei para eliminar os impostos federais sobre itens de segurança para motociclistas previstos no Código de Trânsito Brasileiro, mais precisamente capacete e vestuário de segurança.

No texto da justificativa do projeto de lei, o Deputado fala do 'grave problema de saúde pública que atinge todas as regiões do nosso país'. É citado que em 2010 o Sistema Único de Saúde (SUS) arcou com um custo de 187 milhões de reais com as internações dos 145.920 acidentados com motos no país.

O Deputado é do Piauí, estado que conta com uma proporção alta de motocicletas em sua frota total (54,6% composta por motos). Com o consequente barateamento de capacetes e vestuário de segurança, espera-se que isso estimule motociclistas que não usam equipamentos de segurança. Em várias cidades do interior do país é comum até que não se use capacetes.

Para ler o inteiro teor do projeto de lei, pode-se acessá-lo pelo site da Câmara Federal, clicando aqui.

2set/110

Big Brother em 2 rodas: Estudo observará detalhadamente motociclistas por 1 ano

Posted by Rafael Sahb

No mês passado o MSF (Motorcycle Safety Foundation) iniciou um estudo inédito. Durante 1 ano, 100 motociclistas americanos serão observados enquanto conduzem, sendo coletados dados sobre aceleração, frenagem, localização, entre outros. O intuito do estudo é poder dar uma ideia melhor aos pesquisadores de como são conduzidas as motos no dia a dia, possibilitando a percepção de problemas para melhorar o treinamento, equipamentos e campanhas de conscientização. O estudo é feito em parceria com o Virginia Tech Transportation Institute (VTTI), que já colaborou num estudo parecido com carros.

Os motociclistas foram escolhidos aleatoriamente baseados apenas no modelo de moto que usam (são 7 modelos ao todo). Dentre as motocicletas, há esportivas, cruisers e de turismo. A faixa etária divide os condutores em 2 grupos: de 21 a 34 anos e de 45 a 64.

As motos contarão com 5 câmeras coloridas, GPS, acelerômetros, giroscópios, radar, monitoramento dos controles da moto (acelerador, freios, etc), entre outros sensores. Com isso espera-se que, em caso de acidente, se possa ter uma caixa-preta detalhada da sequência de eventos, dando informações valiosas aos pesquisadores.Tudo foi instalado de forma que não atrapalhe a condução da moto e fique o mais imperceptível possível, para que o condutor não se lembre o tempo todo que está sendo monitorado.

Os motociclistas estão espalhados por 3 cidades americanas: Blacksburg, Irvine e Orlando. Essas cidades possuem uma malha viária variada com diferentes intensidades de tráfego, possibilitando que se tenha contato com diferentes situações de trânsito.

O MSF é uma organização sem fins lucrativos, patrocinada por fabricantes de moto (BMW, BRP, Ducati, Harley-Davidson, Honda, Kawasaki, KTM, Piaggio, Suzuki, Triumph, Victory e Yamaha). Para ver a notícia oficial (em inglês) no site deles clique aqui.

2ago/110

Recall Yamaha Fazer 250 2006-2008 e Fazer Limited Edition 2008

Posted by Rafael Sahb

Em cima: região a ser observada. No meio: detalhe da balança que necessita recall. Embaixo: Detalhe da balança nova, indicando que foi substituída pelo recall de 2010.

Por mais que uma fábrica se esforce para divulgar suas campanhas de recall, é comum muitos usuários não tomarem conhecimento. Em 2009 e 2010, a Yamaha fez 2 recalls para a Fazer 250 modelos de 2006 a 2008 e a Fazer 250 Limited Edition modelo 2008, referentes a problemas na suspensão traseira.

Caso você seja o único dono de um dos modelos citados acima, provavelmente saberá se fez um ou ambos os recalls. Porém, quem comprou uma Fazer usada, precisa se certificar que as duas manutenções foram feitas em sua moto. Ficar sem realizá-las pode levar a acidentes graves.

O melhor meio de descobrir se sua moto passou pelos 2 recalls é levando-a a uma concessionária Yamaha para verificarem se as correções foram executadas, pois a Yamaha mantém um histórico dos números de chassi que ja fizeram os recalls. No entanto, é possível definir visualmente se o segundo recall foi feito. Como neste segundo recall há a troca da balança traseira, se observarmos a última das marcas da balança para regulagem da tensão da corrente de transmissão, notaremos que ela é em forma de L nas versões atualizadas. Para o recall de 2009 (o primeiro) há relatos de que adicionam um ponto no final do número do chassi, mas isso não foi observado em todas as motos que passaram pelo serviço.

Uma informação importante é que, como todo recall, não há gasto algum para o proprietário. Por isso, uma moto sem as correções não necessariamente vale menos.

Para checar o número do chassi das motos que necessitam fazer o recall e para maiores informações, pode-se acessar os anúncios oficiais no site da Yamaha.

12jul/110

Wallpapers – Kasinski Comet GTR EFI

Posted by Rafael Sahb

Essa semana estamos liberando 2 wallpapers para fãs da Comet GTR. É só clicar em um dos 2 abaixo, salvar e usar! Em breve liberaremos mais!

1920x1080

1440x900

Créditos:

Fotografia: Rafael Sahb

Edição: Rafael Sahb / Marcelo Delgado

Piloto: Marcelo Delgado

4jul/112

Amigos vão de moto a Machu Picchu e relatam detalhes da viagem

Posted by Rafael Sahb

Esq. p/ dir. De pé: Rui e Leonardo. Abaixados: Daniel e Marcus

Ano passado, um grupo de amigos apaixonados por motos fez uma viagem digna de nota. Foram de Belo Horizonte/MG a Machu Picchu (Peru) da maneira mais divertida: em suas motocicletas.

Daniel Chaltein, Leonardo D'Angelo, Marcus Lima e Rui Pinho foram os aventureiros, todos colegas de faculdade do curso de Ciência da Computação da UFMG.

O percurso escolhido por eles contabilizou mais de 10900km rodados e o trajeto de ida foi diferente do trajeto de volta. Com isso, eles passaram em vários pontos turísticos da América do Sul espalhados em 7 estados Brasileiros e 3 países vizinhos. Além de Machu Picchu, viram o Lago Titicaca, San Pedro do Atacama e até o Oceano Pacífico.

Recentemente eles iniciaram o relato dessa jornada no blog do anárquico motoclube (como eles mesmos o caracterizam), chamado PDF. Um relato com bastante detalhes, mostrando todo o trajeto, organizado por dias. Um detalhe curioso, é que o responsável pelas postagens no blog, Leonardo D'Angelo, está se valendo das anotações resumidas feitas em seu celular para lembrar de todos os detalhes. Mas o que se lê, parece um relato feito no momento em que eles vivenciaram cada etapa. Uma visão de pontos turísticos que muitos ouvem falar, e de outros lugares pobres e esquecidos. Estradas, comidas, cultura e outras peculiaridades; tudo relatado como se estivéssemos ouvindo o relato desses amigos em uma prazerosa conversa descontraída.

Mapa com o roteiro da viagem

Mapa detalhando o percurso dos aventureiros. Para mais detalhes, acesse a página sobre o planejamento da viagem

Um ponto interessante é que há uma preocupação em se dar detalhes de como fazer igual. No blog, há planilhas detalhando custos, quilometragens, e outros detalhes pertinentes, além de um mapa com todo o percurso. Fotos e vídeos povoam as postagens, dando vida ao relato.

Infelizmente um dos aventureiros, Daniel, sofreu um acidente próximo a Rio Branco/Acre e não pôde seguir viagem. Destaque para esse trecho, que é angustiante, mas tem um final feliz.

É com esses imprevistos mais o companheirismo e o bom humor dos aventureiros que se fez um relato digno de nota de uma viagem igualmente digna de nota. Para acompanhar cada dia dessa viagem, acesse o Blog do PDF-MC.

28jun/110

Viseiras Anti-risco

Posted by Rafael Sahb

No topo, para controle, um facho de luz fotografado diretamente. No meio, o mesmo facho de luz fotografado através de uma viseira anti-risco. Embaixo, uma viseira sem tratamento anti-risco, após apenas alguns meses de uso. Note como o facho de luz se dispersa e toma bem mais o campo de visão.

Você sabe o que é uma viseira anti-risco e qual seu real benefício? Neste post discutiremos esta questão que desperta dúvidas em muitos motociclistas.

A visão é muito importante para o motociclista. Diversos fatores podem influir negativamente neste sentido e podem levar a acidentes. Viseiras muito arranhadas são um dos fatores que mais contribuem para a redução da visão do piloto.

Após algum tempo de uso as viseiras comuns começam a dificultar a visão a noite, pois deixam uma espécie de "aura" borrada ao redor das luzes que são avistadas. Um farol de um carro no sentido contrário pode impossibilitar a visão de elementos próximos a ele, como buracos ou até outros veículos. Em casos extremos a viseira pode se tornar inútil até durante o dia. Até realizar a troca, o motociclista pode ser obrigado a andar com a viseira aberta, pratica esta que caracteriza infração de transito e um grande problema de segurança.

Este processo de deterioração da viseira é causado pelos milhares de riscos minúsculos causados pelo atrito do plástico com materiais diversos (tecidos, couros, superfícies rígidas em geral, entre outros). Ao lavar sua viseira com uma esponja macia você já estará causando esses pequenos arranhões. Até mesmo ao passar a mão sobre uma viseira com sujeira os riscos já aparecem.

Este problema praticamente não existe nas viseiras denominadas anti-risco. Elas são feitas de materiais que não são arranhados com facilidade (em geral, policarbonato cobertos com verniz anti-risco). É um exagero dizer que as mesmas não riscam, porém elas só são riscadas por fortes choques ou objetos pontiagudos.

Não são todos os capacetes que oferecem em sua linha a opção de viseiras anti-risco. Se o seu capacete não suporta nenhum modelo anti-risco, é um sinal que ele pode não ser seguro o suficiente em outros aspectos também. Considere trocar de capacete nesse caso, procurando sempre capacetes com selo do INMETRO (mesmo assim terão alguns sem opção de viseiras anti-risco). As viseiras anti-risco possuem preços mais elevados. Porém, mesmo que mais baratas, as viseiras comuns exigem gasto constante com substituições. Portanto a longo prazo o preço da viseira anti-risco sairá mais em conta.anti-risco sairá mais em conta.

Para capacetes estilo off-road, que demandam o uso de óculos, existem linhas dos mesmos que também possuem  com tratamento anti-risco.

O tema viseiras pode ser estendido em vários aspectos, porém nossa intenção neste post é sensibilizar os motociclistas sobre esse aspecto em especial, que é um dos mais importantes (se não o mais) do assunto. Em posts futuros discutiremos mais sobre a proteção para os olhos, falando sobre os diversos tratamentos que a viseira pode receber, como anti-uv ou anti-embaçante.

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.